O que fazer para validar seu diploma médico no exterior?

A situação econômica de nosso país e a qualidade de vida aqui fornecida são alguns dos fatores que fazem médicos buscarem exercer sua profissão fora do Brasil e é por isso que vamos te ensinar o que fazer para validar seu diploma médico no exterior.

Cada país tem sua forma de validar o diploma do profissional (assim como o Brasil), levando em consideração sua formação, notas e até a instituição de ensino na qual a faculdade foi cursada. Vamos ver o que deve ser feito em alguns dos países mais procurados por médicos brasileiros. 

Em todos os países, considere a língua como fator primordial e fundamental para validação do diploma médico.  

Estados Unidos 

Já pensou em exercer a medicina nos Estados Unidos (EUA)? Não é nada simples, mas é possível. Para validação do diploma em terras americanas é necessário o cadastro na Educational Commission for Foreign Medical Graduates (ECFMG), para comprovação de sua formação e a realização de três provas.  

Estas provas são realizadas pelos formandos em medicina durante a graduação, são elas:  

  • Step 1 – prova teste, a mesma prova que os graduandos realizam em sua formação;  
  • Step 2 – Clinical Knowledge: prova teórica e prática;
  • Step 2 – Clinical Skills: prova prática. 

Além disso, o processo passa por constantes mudanças e está sendo discutido a obrigatoriedade de ser formado em determinadas universidades brasileiras, mas esta regra esta sendo planejada para 2023. 

Canadá 

Pra exercer a medicina no Canadá é preciso validar seu diploma, por meio da Educational Credential Assessment, obrigatoriamente sua faculdade deve fazer parte da Search the World Directorycaso contrário sua solicitação não será nem analisada. 

Além disso, existem três provas obrigatórias (MCCEE, MCCQE 1: MCCQE 2) e a necessidade de fazer (ou refazer) a residência médica no país.  

Você pode ter mais detalhes aqui! 

Inglaterra 

O processo para validar seu diploma na Inglaterra envolve várias fases. O médico precisa se cadastrar na General Medical Council (GMC) e, além de provar documentalmente sua formação, o solicitante não pode ter nenhum processo de negligência, nem criminal em seu nome.  

Com a confirmação dos documentos o médico precisa viajar ao Reino Unido para uma reunião presencial e posterior prova teórica e prática, variando conforme o registro que foi solicitado. Na Inglaterra é possível tirar o registro provisório, completo, para especialistas, para médico de clínica geral e o registro temporário. 

Portugal 

Os médicos portugueses, ao concluir o curso de graduação, tem título de mestre e este é um detalhe importante para validar seu diploma no país. O primeiro passo é solicitar a equivalência do diploma, avaliado por uma comissão e regulamentos únicos em todas as universidades do país.  

Desta forma, para atuar em Portugal, você precisa estar atento aos editais das faculdades de lá, passar pela etapa documental, prova teórica, prova prática e uma prova pública (que seria como a defesa do mestrado que nós conhecemos aqui no Brasil).  

Austrália 

O órgão responsável por essa validação na Austrália é Australian Medical Counsil (AMC) e existem três caminhos possíveis: Autoridade Competente (Competent Authority Pathway), Padrão (Standart Pathway) e o Especialista (Specalist Pathway). Como em todas as anteriores, é necessária a comprovação documental de sua formação. 

No caminho da Autoridade Competente, você deve ter passado por um período de 2 anos nas instituições aceitas pela AMC, caso seja aprovado, você recebe uma autorização temporária de atuação e após a realização de “estágio” de um ano na Austrália é entregue a validação permanente. 

Esta é a forma mais comum para atuar no país. Para conhecer mais sobre os processos, entre aqui! 

Nenhum dos processos é fácil ou rápido, todos exigem investimento e dedicação do médico solicitante, no entanto a relação custo benefício muitas vezes compensa e se é do seu interesse, corra atrás. O importante é saber o que fazer para validar seu diploma médico no exterior!  

Deixe uma resposta